Botafogo e um balanço do que foi o ano de 2018.


Atletico-MG x Botafogo
O técnico Zé Ricardo
Foto: Felipe Correia/Photo Premium

Eduardo Barroca já vinha fazendo um bom trabalho no Botafogo (sub - 20) fazia um tempo; para nós torcedores, se fosse para a diretoria efetivar um técnico dito da casa, o ideal seria este treinador. Mas em uma decisão bizarra da diretoria (que seria chamada de amadora na maior parte do ano), "furaram" a fila e passaram na frente o ex - jogador (e também treinador) de uma das categorias de base, Felipe Conceição (antigamente chamado "tigrão"). irei falar por mim, mas creio que muitos irão concordar: nosso primeiro treinador na temporada, não transmitia alegria, sua calma (exagerada), irritava; não saberei precisar, se foi antes ou depois da queda para a Aparecidense pela copa do Brasil (creio que tenha sido), em jogo válido pelo campeonato Carioca, contra o Flamengo, a emissora de televisão flagrou Felipe Conceição (no tempo técnico em Volta Redonda devido o calor) conversando com seus comandados e (aparentemente) puto, João Paulo dava as costas para o treinador que o chamava: ficou claro que o nosso time estava sem comando. Com a eliminação precoce na copa do Brasil, Felipe Conceição foi demitido e em nosso currículo de torcedor, ganhamos mais uma torcida adversária para nos zoar! Faz um tempo que o grau de chacota para o nosso lado vem aumentando! Quando você irá acordar Botafogo? Eduardo Barroca foi para as categorias de base do Corinthians, e foi então que o Botafogo por meio de sua diretoria, viu a merda que fez e esboçou tentar trazer Barroca de volta, mas já era tarde demais...

O Botafogo então foi em busca de um novo treinador e (mais uma vez), buscou uma solução caseira (e barata) e trouxe o técnico Alberto Valentim: que havia pego o Palmeiras na reta final do campeonato brasileiro de 2017 quase tendo sido campeão: mais uma aposta! Ao contrário de Felipe Conceição, Alberto Valentim era "explosivo", xingava, gesticulava, era participativo à beira do campo e passou a ter o time nas mãos! Perdemos João Paulo por lesão (um de nossos melhores jogadores), em um time o qual sabíamos ser limitado e nos levou ao final do Carioca. Mas, antes, enfrentamos o Flamengo, que vinha, desde o ano anterior com uma história de "cheirinho" e engasgados como uma zoeira do Vinicius Junior, que fez o gesto do "chororô", na semi - final, o Flamengo com um time melhor do que o do Botafogo, mas incompetente, perdeu pelo placar de 1 x 0 (gol do Luiz Fernando) que ao comemorar tapou o nariz em alusão ao tal "cheirinho"...o Botafogo estava na final da Carioca contra o Vasco da Gama que tinha a vantagem e posso lhes dizer, não seria um jogo fácil, seria sofrido e sofrível, mas brilharia a estrela solitária de General Severiano...

Já nos acréscimos, um herói improvável: Joel Carli faz o gol da vitória do Botafogo no tempo regulamentar (resultado que levaria a partida para os pênaltis), o que fez com que muitos flamenguistas na ocasião dissessem que o Botafogo foi beneficiado com um alto tempo de acréscimo; os vascaínos foram na onda dizendo que foram "garfados", "roubados". Mas, espera um pouco! Por que "roubados"? O Vasco (do então técnico Zé Ricardo) tinha a possibilidade de reverter o placar nos vencendo nos pênaltis e saírem do Maracanã campeões! O fato é que, nós tínhamos Gatito Fernandez como goleiro (algo com que viríamos a sofrer em boa parte do restante da temporada) e com suas defesas e nossos jogadores com os pés calibrados, sairíamos do Maracanã campeões em mais um campeonato sem graça e mal organizado pela federação!

Após a eliminação do Vasco para o Botafogo na final do estadual, Zé Ricardo deixou de ser treinador do gigante da colina. O Botafogo de Alberto Valentim, começou o campeonato brasileiro de forma tímida e regular. Na parada para a copa, até que estávamos bem colocados na tabela (se não me engano em décimo). Não sabemos como seria após a copa caso Valentim continuasse, mas o fato é que, ele recebeu uma proposta a qual, mesmo que o Botafogo não estivesse endividado e com salários atrasados, conseguiria pagá - lo de forma a evitar sua ida para o estrangeiro. O Botafogo agiu depressa e trouxe Marcos Paquetá: para desespero da torcida, pois, há mais de 14 anos que o técnico estava fora do nosso país! Perdemos para o Flamengo no primeiro turno para o Flamengo pelo placar de 2 x 1 (e poderia ter sido de mais!); Jefferson se machucou após lance com Lucas Paquetá e começou a era Saulo no Botafogo, uma era que muitos de nós iríamos fazer questão de querer esquecer: "sem goleiro" (Gatito também estava no estaleiro), chegamos ao ponto de termos de utilizar quatro goleiros na temporada! Quando Gatito retorna, nós, torcedores, iríamos dizer que, não só a falta de pagamento foi o fator preponderante para termos feito uma campanha ruim e flertar com a zona de rebaixamento, mas também, o fato de não termos um goleiro que transmitisse confiança para o restante do time...Assistindo a uma determinada reportagem (não me lembro em qual emissora), houve quem dissesse que Marcos Paquetá foi injustiçado, que era um cara inteligente, que precisava de tempo para implantar sua filosofia e que o problema do campeonato brasileiro, é sempre mandar o técnico embora...então, o Botafogo chamou Zé Ricardo que foi questionado por alguns torcedores!

Por causa da insistente perseguição a alguns jogadores (Léo Valência, Rodrigo Pimpão e Moisés são alguns deles), passei parte do segundo turno dizendo que, ruim com eles, pior sem eles...não serei leviano de dizer que não os critiquei (principalmente o Moisés, após aquele pênalti perdido para o Bahia na sul - americana), contudo, foram criticas de um torcedor frustrado. O mais engraçado é que o Valência jogava mal a torcida o queria fora do time, mas, líder em assistências e boa movimentação em alguns jogos, faziam com que pedissem - no de volta ao time! Coisas de torcedor, vai entender...

O time (que já não era nenhum primor) começou a jogar de forma displicente; Zé Ricardo disse que se os salários (entendo que ele comprou a briga dos jogadores) continuassem se atrasando, iria embora! Agora, o mesmo Zé Ricardo, diz que, fica até o término de seu contrato em Abril de 2019, mas já vislumbra uma extensão do mesmo até o final do ano! Curiosamente (ou não) depois que os salários foram quitados, o Botafogo passou a jogar mais, a correr mais, a se empenhar mais...ganhamos do Corinthians e do Flamengo: só para citar alguns times! Eu diria que o Botafogo foi um dos responsáveis nesta reta final de campeonato brasileiro por não deixar o Flamengo alcançar o Palmeiras e ser campeão...O Botafogo foi o responsável pela perpetuação do cheirinho versão 2018!

Pode parecer pouco (e talvez realmente seja), mas o Botafogo, o queridinho da imprensa para ser criticado (na maior parte da temporada), ser alvo de chacota, deboche; escolhido para ser o "patinho feio" foi o único clube carioca que levantou um "caneco" este ano, que foi campeão! Assisti a reportagem do Mauro Cezar Pereira pelo youtube e vê - lo dizendo que o Botafogo foi superior ao Flamengo, pois, mesmo com todos os problemas conseguiu ser campeão (do Carioca, é verdade, mas campeão) e com o rubro - negro tendo o time que tinha e não ganhou nada, não tem preço! Recentemente, um amigo rubro - negro disse - me o seguinte: "o torcedor rubro - negro é soberbo". Já meu pai, disse que o Flamengo tinha um bom time, mas um time incompetente...

Creio que esta seja minha última crônica este ano. Desejo a todos um FELIZ NATAL e FELIZ ANO NOVO! Gostaria de agradecer a cada um que leu, pela paciência e boa vontade; espero estar aqui ano que vem e (quem sabe) escrever uma crônica comemorando um título de expressão!

Saudações Alvinegras!
Botafogo e um balanço do que foi o ano de 2018. Botafogo e um balanço do que foi o ano de 2018. Reviewed by Thiago de Castro on dezembro 02, 2018 Rating: 5

Nenhum comentário

Publicidade

FogoNotícias