#111AnosGloriosos

Foto: retirada do Twitter.
1- Será que as pessoas dessa foto imaginavam que o clube que eles estavam fundando seria um dos maiores da cidade, do estado, do país? Do mundo?

Acho que sim, pois o Botafogo já nasceu grande, ao contrário de tantos outros clubes que se tornaram grandes com o passar das décadas.

Nós somos gloriosos desde 1910.

2- Será que o Brasil seria a potência que é no futebol se não existisse o Botafogo?

Acho que não, pois qual outro clube poderia ceder Nílton Santos, Garrincha, Didi, Amarildo, Zagallo? Em um mesmo time?

Nós somos o berço das glórias do futebol nacional.

3- Podem dizer que somos pessimistas - com uma certa razão - mas nós amamos o Botafogo como nenhum outro torcedor faz pelo seu clube.

Ou você conhece algum botafoguense que fala "que é Botafogo para se ter um time de futebol"?

Nós gostamos de futebol. Ou melhor, gostamos mesmo é do Botafogo.


4- Os rivais insistem em dizer que somos poucos. Errado. Somos muitos!

Só não somos mais porque nem todos podem ter o privilégio de serem escolhidos pela Estrela Solitária.

Não escolhemos. Fomos escolhidos.


5- 89, o começo de uma era. 95, mais um ano de alegria. 21 anos de espera e um aeroporto que teve a sua pista invadida.

1999 foi o ano do recorde de público da história da Copa do Brasil e 2010 o ano em que a torcida campeã foi maioria no estádio, mesmo após três vices consecutivos nos anos anteriores para o mesmo rival.

Nem maiores, nem melhores. Nossa torcida é diferente. Nossa torcida faz diferença.

6- Nílton Santos. A Enciclopédia do futebol mundial. Botafogo, seleção brasileira e seleção carioca. Únicas camisas que o maior lateral de todos os tempos vestiu em sua carreira.

"Tu, em campo / Parecia tantos / E no entanto / Que encanto! / Eras um só / Nílton Santos".

(Armando Nogueira).

7- Garrincha. A Alegria do Povo. A simplicidade demonstrada na marca das "pernas certas". O maior dos boleiros do futebol mundial. E ele vestiu a nossa camisa mística 7.

"Malazartes do jogo / Driblando os zagueiros / Um bobo pra corte / Um herói brasileiro".

(Antônio Nóbrega).

8- Didi. O Príncipe Etíope. Apelido dado pelo dramaturgo Nelson Rodrigues, definição dada pela sua postura quando jogava, em comparação aos integrantes da comissão de frente dos antigos desfiles das escolas de samba no Rio de Janeiro, pedindo passagem para a sua escola passar, sempre de forma ereta, elegante, comumente fantasiados de príncipes etíopes.

Didi, Garrincha e Nílton Santos. Nossa Santíssima Trindade.

Nossos ídolos são tantos.



São muitos os motivos para enumerar as qualidades do Botafogo de Futebol e Regatas. Ficarei por aqui, nesse oito.

Sempre reverenciando o seu passado. Sempre ao seu lado em seu presente. Sempre esperando o melhor para o seu futuro.

Nunca te abandonando!

Parabéns, Botafogo!

Foto: Facebook oficial.

Por: Thiago Hildebrandt.
#111AnosGloriosos #111AnosGloriosos Reviewed by Thiago Hildebrandt on agosto 12, 2015 Rating: 5

Nenhum comentário

Publicidade

FogoNotícias