Além do "Macaenazzo"

No último sábado, tivemos o nosso "Maracanazzo", ou melhor, o nosso "Macaenazzo". Em uma partida irreconhecível por parte do nosso time, tivemos a nossa primeira derrota (Macaé 4 a 2) nesse campeonato de forma dolorosa, desonrosa e até vergonhosa. Perder faz parte de qualquer competição, mas perder do modo que perdemos, dói demais. O gol do Roger Carvalho ainda criou uma esperança para a reação de uma partida pífia, mas o quarto gol do Macaé calou esse último suspiro.

Foto: Vitor Silva.

"Fora, Renan! Fora, Luis Ricardo! Fora, presidente! Fora, René"! Calma. Vamos com muita calma. A derrota de sábado e o empate contra o Boa Esporte não podem apagar toda a campanha até a véspera da partida contra o time mineiro.

Infelizmente, o Botafogo somou apenas um ponto nos últimos seis disputados em 18 dias. É um fato. Entretanto, o Botafogo conseguiu somar nove pontos em nove disputados nas vitórias contra Paysandu, CRB e Vitória em 21 dias. Isso também é um fato. E tem que se levar em conta, também.

Desde a final do Carioca até a última partida da Série B, é notório (pelo menos imagino para boa parte da nossa torcida) que o time evoluiu. Taticamente e tecnicamente. Não, não acho o nosso atual time um primor, que atropelaria na Série A e desafiaria Barça e Bayern de forma igual. Mas tenho a convicção que o material humano disponível é condizente para que se faça um trabalho digno e recoloque o clube em seu lugar de merecimento.

Além do mais, não podemos esquecer de uma coisa primordial no futebol: do outro lado, há um adversário que entra em campo para somar pontos na partida. Sim, perdemos pontos para o Atlético-GO, Boa Esporte e, agora, Macaé. Times de menor expressão, ainda mais se comparar com a gloriosa e rica história de General Severiano. Mas estão do outro lado do campo dispostos a vencerem e temos que dar importância a isso.

A derrota em Macaé foi dolorida e, nessas horas, o tempo é o nosso melhor amigo. Tendo o tempo como o nosso aliado, ele nos ajudará a fechar essa cicatriz e nos alimentará de força e fé para a próxima partida contra o Sampaio Corrêa. Sim, ainda há vida na Série B. Ou você achou que tudo estava perdido?

A cada derrota (e confiem, elas virão até o final do ano e - pasmem! - até podendo ser mais dolorosas que essa) não podemos criar um universo de exageros em torno dele. Temos que fazer observações e refletir em cada uma delas, no modo da bondade, sem paixão. Caso contrário, iremos cair no erro citado anteriormente e, desse modo, criaremos um peso muito grande e desnecessário.

Hoje, o futebol está muito complexo e o Botafogo, atualmente, está tentando se enquadrar na modernidade do esporte. René tem conceitos muito bons e que já conseguiu aplicar alguns pontos em nosso time (leia mais em meu texto no meu blog pessoal clicando aqui). Por outro lado, ainda há dificuldade em outros, aonde a teoria não se faz na prática. O fato é que o Botafogo não está obsoleto em sua forma e tenta evoluir de acordo com as peças que há disponíveis, convicção essa obtida através de observações táticas e técnicas ao longo desse ano de 2015.


"Há coisas que só acontecem com o Botafogo". Crescemos ouvindo essa frase. Certa vez, Nelson Rodrigues disse "que há, no alvinegro, a emanação específica de um pessimismo imortal [...] e que no dia em que retirarem do torcedor alvinegro o inefável direito de sofrer [...] ele ficará inconsolável, como um ser que perde, subitamente, a sua função e o seu destino."

Eu, como botafoguense e cidadão, não tenho a função e, muito menos, o destino do pessimismo e do sofrimento. Se ponderarmos de forma minuciosa, podemos ter a convicção de que o ensinamento passado por pai, avô e torcedores mais velhos possa estar errado. Ou não? Há o dever da mudança. E quem iniciará isso?

É VOCÊ, TORCEDOR!

Nós somos a mudança e temos que aceitar essa obrigação. Difícil? Sim. Impossível? Nunca. E temos que tentar.

Sendo assim, você, botafoguense, compre o seu ingresso (ou melhor, associe-se), pegue a sua camisa alvinegra e vá ao Nílton Santos apoiar. Não me interessa os "poréns", apoie-se no amor que você devota por esse clube e é por ele que você irá ao estádio. O futebol é muito mais que meros resultados de dentro do campo. O futebol está... Ou melhor, o Botafogo está em nossa pele e é por ele que o nosso coração pulsa, que a adrenalina sobe, que a nossa garganta grita.

Para que esse time aí abaixo seja digno dos aplausos que receberá a cada final de partida. Independente do resultado.

Foto: Vitor Silva.
 Por: Thiago Hildebrandt.
Além do "Macaenazzo" Além do "Macaenazzo" Reviewed by Thiago Hildebrandt on junho 29, 2015 Rating: 5

Nenhum comentário

Publicidade

FogoNotícias