Botafogo não sai do zero e empata em Brasília

Foto: Adalberto Marques

O Botafogo empatou em zero a zero contra o Atlético Goianiense em Brasília e, agora, encontra-se na quarta posição da tabela do Campeonato Brasileiro da Série B, após três rodadas. No próximo sábado, o time voltará a jogar no Nílton Santos, enfrentando o Vitória às 16h30.

Com as ausências de Mattos e Sassá, machucados, e Pimpão, suspenso, René optou pelas entradas de Camacho, Elvis e Lulinha. Ainda deixou o Carleto no banco e o Diego Rosa foi o titular da lateral esquerda nos onze que iniciaram a partida. O Botafogo pouco era ameaçado pelo adversário nos minutos iniciais. O time ficava com a posse de bola e, quando a perdia, recuperava-a tranquilamente. Entretanto, o grande problema foi a falta de situações de perigo à meta do goleiro Márcio. O Botafogo dominava as ações mas não concluía a gol. Daniel Carvalho esteve em uma tarde de pouca inspiração e os sucessivos cruzamentos para um Bill isolado na área eram ineficientes.

A melhor oportunidade foi, justamente, do Atlético Goianiense. O atacante Artur, com passagem no futebol do Rio de Janeiro, recebeu livre na grande área, em posição legal, e obrigou o goleiro Jefferson a fazer uma grande defesa, aos vinte e sete minutos. Essa jogada animou o adversário, que começava a equilibrar as ações do jogo com jogadas rápidas em contra ataque. Aos quarenta e três, o mesmo Artur balançou as redes do goleiro Jefferson após uma cabeçada inapelável, mas a arbitragem não validou o lance, assinalando impedimento na jogada. Assim terminou um primeiro tempo de um Botafogo pobre em suas ações.

No intervalo, saiu Daniel Carvalho e entrou Diego Jardel. Com três minutos, o Atlético desceu pelo lado esquerdo do seu ataque e carimbou o travessão, após um cruzamento que ia enganando o goleiro Jefferson. Aos seis, Arão chutou de fora da área e assustou o goleiro Márcio. Parecia ser a senha para o time. Aos catorze e dezesseis, respectivamente, Diego Jardel e Elvis assustaram o goleiro Márcio em bons chutes de longa distância. Aliás, os dois vinham se tornando os principais personagens do time nessa segunda etapa.

Por outro lado, Gilberto fazia uma partida muito aquém do que se espera e poderia ser eleito o pior em campo do lado alvinegro, se não fosse mais uma atuação desastrosa do Bill. Após uma partida muito ruim contra o Figueirense em Florianópolis, o camisa nove do Botafogo teve mais uma atuação fraca e terá uma semana de jogos fora do Rio para se esquecer.

Foto: Francisco Stuckert 

Aos dezoito, a melhor oportunidade da partida. E foi do Atlético. Mais uma vez, em um contra ataque, Artur recebeu em velocidade, ganhou do Giaretta na corrida, driblou Jefferson e chutou para fora, com pouco ângulo e com a perna esquerda, que não é a boa. O atacante deu trabalho para a defesa botafoguense e as principais chances do time goiano foram concluídas através dele.

Foto: indisponível (Jornal de Brasília / Gazeta Esportiva)
Aos vinte e um, Elvis e Gilberto sairiam para as entradas de Tomas e Luís Ricardo, respectivamente. Mas com a lesão do Camacho logo em seguida, apenas a primeira substituição se concretizou e Aírton acabou entrando no lugar do companheiro lesionado. O Botafogo pressionava o adversário, diminuía seus espaços, mas não conseguia se aproximar do gol do Márcio. Na melhor chance, Tomas acertou um belo chute da meia direita de ataque e que obrigou o Márcio a fazer uma grande defesa.

Nos minutos finais, o jogo se tornou franco por ambos os lados e que poderia acontecer qualquer coisa. Contudo, após uma partida de baixo nível técnico pelos dois times, ninguém conseguiu alterar o placar e cada um voltará com um ponto na bagagem. O Botafogo teve uma tarde infeliz, jogando abaixo do que pode render, e seria desaprovada pelo eterno Mané que, se tivesse acompanhado a partida, não teria gostado da atuação da Estrela Solitária.

FICHA TÉCNICA
 
ATLÉTICO-GO 0 X 0 BOTAFOGO

Local: Mané Garrincha, Brasília (DF).
Data / Hora: 23-maio-2015 / 16h30 (de Brasília).
Árbitro: Flavio Rodrigues de Souza (SP).
Auxiliares: Fabricio Porfirio (SP) e Marco Antonio de Andrade (SP).
Renda / público: R$ 361.780,00 / 7.822 presentes.
Cartões amarelos: Arthur, 43’/1º.T, e Rafael, 37’/2º.T (Atlético-GO); Bill, 10’/2º.T (Botafogo).

ATLÉTICO-GO: Márcio; Éder, Marcus Winícius, Rafael e Sidcley (Samuel, 36’/2º.T); Anderson Pedra, Zezinho (Sérgio Manoel, 27’/1º.T), Pedro Bambu e Aílton; Rafinha (Ayrton, 22’/2º.T) e Arthur. Técnico: Marcelo Martelotte.

BOTAFOGO: 1- Jefferson; 4- Gilberto, 3- Renan Fonseca, 2- Diego Giaretta e 6- Pedro Rosa; 5- Camacho (21- Airton, 22’/2º.T) e 8- Willian Arão; 11- Elvis (20- Tomas, 21’/2º.T), 10- Daniel Carvalho (19- Diego Jardel, intervalo) e 7- Lulinha; 9- Bill. Técnico: René Simões. Suplentes não utilizados: 22- Renan, 13- Alisson, 14- Emerson, 15- Luis Ricardo, 16- Carleto, 17- Gegê e 18- Henrique.

Por: Thiago Hildebrandt.
Botafogo não sai do zero e empata em Brasília Botafogo não sai do zero e empata em Brasília Reviewed by Thiago Hildebrandt on maio 24, 2015 Rating: 5

Nenhum comentário

Publicidade

FogoNotícias