OPINIÃO: Botafogo não vê a cor da bola e é massacrado em Porto Alegre

Foto: Richard Ducker/FramePhoto/Folhapress
O Botafogo estreou neste domingo no Campeonato Brasileiro diante do Grêmio, na Arena do time gaúcho. Jogando para 20. 289 espectadores, o Glorioso se viu dizimado pelo tricolor de Porto Alegre e foi derrotado pelo placar de 2 a 0, abrindo sua jornada na competição com o pé esquerdo.

A primeira etapa da partida foi um verdadeiro jogo de ataque contra defesa. Com mais uma atuação muito discreta, Camilo teve dificuldades para executar seu papel e o ataque do Botafogo teve pouca mobilidade. Em contrapartida, o tricolor gaúcho, comandado pela dupla Barios-Luan veio com todo o seu poderio ofensivo e bombardeou a defesa alvinegra. 12 chutes no gol de Gatito Fernández (que voltarei a citar em breve). Mesmo com toda a investida gremista, os porto-alegrenses demoraram a abrir o score. Apenas aos 45 minutos da etapa inicial o Grêmio inaugurou o placar, com Ramiro.

A segunda etapa não foi muita diferente da primeira. Mesmo terminando o jogo com mais posse de bola e com maior movimentação no ataque com a entrada de Guilherme, o Botafogo continuou sendo sufocado pelo Grêmio que marcou o segundo após Ramiro chutar forte e Luan desviar com a mão esquerda para o gol. O árbitro validou o tento e o Grêmio anotou o seu segundo gol no placar da Arena.

Apesar de prejudicado pela arbitragem, a falha do senhor Braulio da Silva Machado pouco influenciou no resultado da partida, uma vez que o Botafogo pouco criou. O lance de maior perigo do Glorioso foi com Gilson, aos 40 minutos. Após boa troca de passes com Rodrigo Pimpão, o lateral que entrou no segundo tempo acertou um chute forte na trave direita de Marcelo Grohe.

Como pontos positivos, destaco o goleiro Gatito Fernández, que quando foi exigido, soube corresponder e foi o melhor jogador do Botafogo na partida. Substituto de Jefferson, o paraguaio vem correspondendo e vai dar trabalho para o paredão recuperar sua vaga na equipe.

Aplausos também pela dupla de zaga formada por Igor Rabello e Marcelo. A derrota não apaga a boa atuação feita pelos dois, que não comprometeram em nenhum dos gols e mostraram postura, mostrando serviço quando eram exigidos.

Os pontos negativos? A fraca atuação de Emerson na lateral-direita, mesmo sem ter culpa. Zagueiro, o camisa 2 jogou mais uma vez improvisado na função que mais dá dor de cabeças ao clube desde a temporada passada.

Bruno Silva, mais uma vez foi punido por chutar a bola em cima do árbitro. Após falta cometida por Pimpão, o camisa 8 chutou a bola nos pés do juíz e levou cartão amarelo. Já não é a primeira vez que isto acontece e já passou da gora de a comissão técnica ter uma conversa severa com o camisa 8.

Por fim, perdemos. Devemos ficar em alerta, mas não desesperados. Foco na batalha da próxima quinta-feira, contra o Atlético Nacional, no Nilton Santos.

Um adendo: seguimos esperando por Walter Montillo. Precisamos da qualidade dos seus serviços.
OPINIÃO: Botafogo não vê a cor da bola e é massacrado em Porto Alegre OPINIÃO: Botafogo não vê a cor da bola e é massacrado em Porto Alegre Reviewed by Igor Melo on maio 14, 2017 Rating: 5

Nenhum comentário

Publicidade